ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

sábado, 9 de julho de 2011

BROTAS 3 – ENGENHO VELHO DE BROTAS

Apesar da Igreja de Nossa Senhora de Brotas ter sido construída em 1714 e o Solar Boa Vista em 1824, o bairro de Brotas só veio a ser povoado a partir do princípio do século XX. É o que indica a inexistência de construções antigas em todo o seu espaço, a exceção, como se disse das referências acima.

É sumamente interessante esse detalhe, principalmente no que se refere à igreja. Geralmente ela atraia moradores que se juntavam ao redor dela ou nas proximidades. Foi o que aconteceu com a maioria delas desde 1549 quando aqui chegou Tomé de Souza.

No caso de Brotas, não aconteceu nada! Ficou a igreja e ao seu redor a imensidão dos morros e vales, pródigos no local.

O mesmo ocorreu com o solar. Ao redor não se construiu mais nada.

Isso nos faz crer que em ambos os casos, as duas construções tinham fins exclusivamente comerciais. Seriam como que sedes de engenhos de açúcar que existiam no local. Não é sem razão que, uma grande parte do hoje bairro de Brotas chama-se Engenho Velho.

Mas a igreja como sede de engenho? Sim, é sabido que os padres possuíram engenhos e os administrava. Como sempre pediam e confiavam na proteção divina; como sabiam que no futuro o povo se aproximaria, fizeram a igreja onde rezavam, moravam e trabalhavam.






Por completo

 Vista aérea do Conjunto do Solar da Boa Vista

O Solar Boa Vista pertenceu inicialmente ao senhor Joaquim José de Santana. Decorria o ano de 1624; em seguida passou a ser propriedade do senhor Joaquim Ramos de Arauho por volta de 1821; em 1838 passou a pertencer ao Dr. Antônio Alves, pai do poeta Castro Alves que nele passou parte da adolecência. Em seguida em 1838, o solar virou asilo com o nome de Asilo Sao João de Deus que se transformou posteriormente em Asilo Juliano Moreira. Era o ano de 1908. Entre os anos 1983/1985 funcionou como sendo a Prefeitura de Salvador.

NOTA- Estamos fazendo a revisão de todas as postagens objetivando a melhoria e acréscimo  de  informações. Esta nota se faz necessária, tendo em vista que o incêndio ocorrido no Solar Boa Vista é posterior à data dessa postagem. Trata-se, portanto, de um acréscimo.

Em 3 de janeiro desse ano, incendiou-se o belíssimo Solar Boa Vista, fato sumamente lamentável. Era uma prédio maravilhoso e com uma história extraordinária. Diz-se que de sua torre observava-se a entrada de navios na Baía de Todos os Santos. Foi residência do nosso maior poeta: Castro Alves. Por essa razão, fala-se que a Prefeitura fará a sua restauração e quando pronto será de novo a Casa de Castro Alves com seu acervo.






Restou metade do prédio, inclusive a sua torre
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário