ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

quinta-feira, 1 de março de 2012

CONVENTO SANTA TEREZA –NAS ENCOSTAS DA CONTORNO

A Avenida do Contorno, lado do mar, se tem maravilhas que nem o Solar do Unhão e mesmo o hoje Porto Trapiche que foi Trapiche Porto antigamente, lendário; do lado contrário, ou seja, na encosta do morro, não fica nada a desejar desde que o Convento de Santa Tereza ali encrustrado, é algo realmente extraordinário em diversos sentidos.

Primeiro deles, a forma como foi construido. Dizem que os padres carmelitas construíram um guindaste no local, afim de transportar material vindo das Ilhas e do Recôncavo, principalmente tijolo.

Segundo se sabe, só na Ilha de Itaparica existiam na época 15 olarias destinadas a fabricar tijolo e este material chegava em Salvador pelos saveiros que, no caso, aportavam na Enseada da Preguiça.

Também é inusitada a decisão de construir este convento. Foi ocasional! Conta-se que no século XVII, seis religiosos da Ordem dos Carmelitas Descalços chegaram à Bahia com destino à Angola para construir nesse País um convento por ordem do Rei de Portugal. Daqui embarcariam para a África. Ficaram retidos em Salvador durante 8 meses. Com a demora, resolveram construir o convento em Salvador, do que resultou o nosso Convento de Sta. Tereza.

O porquê da denominação? São duas as hipóteses. Primeira delas conta que já existia no local uma igrejinha dedicada a Santa Tereza, consequentemente...; a outra diz respeito ao fato que Santa Tereza era uma carmelita, e os nossos padres retidos em Salvador por falta de transporte para a África, eram camelitas. Logo...

Faz-se uma certa confusão – alias, sublime confusão – entre Santa Tereza de Ávila e Santa Terezinha do Menino de Jesús. No caso do Convento de Santa Tereza, trata-se efetivamente de Santa Tereza de Ávila. Porquê? A primeira (Sta. Tereza de Ávila) nasceu em 1515 na Espanha e a segunda (Sta. Terezinha do Menino de Jesus) nasceu na França em 1873, e os fatos que estamos tratando deram-se no século XVII, mais precisamente a partir do ano de 1665 quando os padres obtiveram a órdem do rei para construir o tal convento na África até 1697 quando a igreja foi inaugurada em Salvador por força do destino.





Em verdade, uma ou outra, são maravilhosas e as enaltecemos.
Vejamos Santa Terezinha do Menino Jesús:

Francesinha, que nasceu em Aliçon 1873, e morreu no ano de 1897. Santa Terezinha não só descobriu no coração da Igreja que sua vocação era o amor, mas sabia que o seu coração - e o de todos nós - foi feito para amar.

Linda imagem

Os seis religiosos retidos em Salvador foram: Frei José do Espírito Santo, prior, e seus conventuais Frei Manoel de Santo Alberto, Frei Jerônimo de Santo Alberto, Frei João das Chagas, e os irmãos leigos Frei Francisco da Trindade e Frei Antônio da Apresentação.

Cada um deles deveria ser especialista em determinada área de trabalho, desde que sabiam de antemão que não encontrariam tanto na África como no Brasil, ninguém capacitado para as obras a que se destinavam.

E sob a tutela de um desses freires, o convento foi erguido de forma maravilhosa, à ponto de ser comparado com o Convento doa Remédio de Évora da mesma ordem.
 













 
Agora, vamos ver seu interior:
 


 


 




 


 

Mas, infelizmente os Caremelitas Descalços não tiverem um fim agradável em Salvador. A òrdem foi expulsa do País em 2 de junho de 1840. Motivo: deram guarida nas dependências do convento às tropas portuguesas comandadas pelo General Madeira ao tempo das guerras pela indenpendência da Bahia.

É como se diz no popular – misturaram as coisas – e quando isto acontece tudo vem abaixo.

Hoje, no local funciona o Museu de Arte Sacra da Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário