ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

quinta-feira, 17 de maio de 2012

BAIRRO DO CANELA – UMA HISTÓRIA DE FAZENDAS E MANSÕES

Diversos sites consultados, dão conta que o Canela já foi uma fazenda e que até próximo aos anos 40 do século passado, ainda se via gado pastando em seu espaço e que o mesmo pertencia ao senhor Pereira Aguiar.
 Ai a curiosidade do pesquisador veio à tona: primeiramente de relação ao senhor Pereira Aguiar. Quem teria sido? Claro que um senhor de terras como se dizia antigamente, mas de resto não há nenhuma outra referência, a não ser dados sobre a sua família, absolutamente particulares. 
Buscando a historia do local e cercanias, sabe-se que o Vale do Canela e o Chame-Chame pertenciam a Francisco Pereira Coutinho, primeiro donatário da Capitania da Baia de Todos os Santos. Em conseqüência, possivelmente o senhor Pereira Aguiar teria herdado de seu provável parente este pedaço de Salvador. 
Talvez seja imprudente a referida suspeita, contudo há outra situação de propriedade ainda em Salvador, na Barra, envolvendo um dos Pereira que pode fortalecer a hipótese levantada. Referimo-nos à Fábrica de Xales Victória, localizada onde é hoje o Yacht Clube da Bahia. Neste caso, também um Pereira era proprietário do imóvel. Referimo-nos ao senhor Alberto Alves Pereira. E neste caso, estamos nos referindo ao “coração” de propriedade do senhor Francisco Pereira Coutinho. Complementando, esta negociação se realizou em 26 de abril de 1935.
 Ainda de relação às fazendas existentes no Canela, uma delas pertencente ao Sr. Pereira Aguiar, vale acrescentar que toda a cercania do Canela, especialmente Graça – sim Graça – era constituída de pequenas fazendas e sítios. Praticamente, a Graça de luxo só ia até o Largo da Graça, Rua da Graça, Princesa Leopoldina, por ai. De resto, a atual Rua Euclides da Cunha até esquina com a Rua Padre Feijó, era toda verde, inclusive o sitio pertencente à família Rego que foi comprado para a construção do Estádio Arthur Morais – Campo da Graça.
 O estádio Artur Moraes, mais conhecido como Campo da Graça, foi inaugurado em 1920. Ali, a antiga assistência ensaiou seus primeiros gritos de incentivo aos times até que a expressão ‘torcida’ se consolidou como referência do público.
O primeiro grande campeão foi o Ypiranga, sucedido pelo Bahia. Mas será mesmo que o Canela era todo “fazenda” ainda em 1940? Não era! No final da Rua Padre Feijó, já próximo ao Campo Grande, era todo ocupado por grandes e sensacionais mansões. Possivelmente uma delas deveria pertencer ao senhor Pereira Aguiar. Duas outras pertenceram às famílias Maia e Silva. Hoje, todo este espaço está ocupado por uma série de clínicas e edifícios.

Uma pena, mas alguns dizem ter sido  em prol do progresso da cidade. Temos a nossa dúvida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário