ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

ENTENDA O CARNAVAL QUE VOCÊ ESTÁ BRINCANDO



Carnaval é uma festa que se originou na Grécia em meados dos anos 600 a 520 a.C.. Através dessa festa os gregos realizavam seus cultos em agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção.”

Esta é a citação mais antiga da origem do Carnaval ou seria esta:

Na antiga Babilônia, duas festas possivelmente originaram o que conhecemos como carnaval. As Saceias eram uma festa em que um prisioneiro assumia durante alguns dias a figura do rei, vestindo-se como ele, alimentando-se da mesma forma e dormindo com suas esposas. Ao final, o prisioneiro era chicoteado e depois enforcado ou empalado.

Na antiga Roma

Ainda antigamente


O outro rito era realizado pelo rei nos dias que antecediam o equinócio da primavera, período de comemoração do ano novo na região. O ritual ocorria no templo de Marduk, um dos primeiros deuses mesopotâmicos, onde o rei perdia seus emblemas de poder e era surrado na frente da estátua de Marduk. Essa humilhação servia para demonstrar a submissão do rei à divindade. Em seguida, ele novamente assumia o trono.

 Outra citação de relação à antiguidade do Carnaval é esta:  “O carnaval é originário da Roma Antiga, e incorporado pelas tradições do cristianismo, passou a caracterizar um período de comemorações que ocorriam entre o Dia de Reis e a quarta-feira que antecedente a quaresma.

Ainda em Roma as Saturnálias e as Lupercálias. As primeiras ocorriam no solstício de inverno, em dezembro, e as segundas, em fevereiro, que seria o mês das divindades infernais, mas também das purificações. Tais festas duravam dias com comidas, bebidas e danças. Os papeis sociais também eram invertidos temporariamente, com os escravos colocando-se nos locais de seus senhores, e estes colocando-se no papel de escravos.

Na Idade Média, a Igreja decidiu agregar as antigas festividades ao seu calendário. O carnaval começou a corresponder aos últimos dias antes do período da Quaresma, tido como a última oportunidade de comer carne antes do "jejum" e privações até a sexta-feira santa.


Mas a invenção do carnaval como o conhecemos hoje, com bailes e desfiles de fantasiados, aconteceu na Paris do séc XIX, mais precisamente em 1830. “Os donos do poder parisiense rapidamente perceberam os prazeres e as lucrativas negociações que poderiam resultar das festas carnavalescas” escreveu Felipe Ferreira.

A burguesia parisiense passou a patrocinar os maiores bailes a fantasia da temporada e surgiu a noção de mistura entre as classes sociais. Foi esse modelo de carnaval que mais tarde seria adotado no Brasil. Mas a invenção do carnaval como o conhecemos hoje, com bailes e desfiles de fantasiados, aconteceu na Paris do séc XIX, mais precisamente em 1830. 


.



O Carnaval de Paris

ORIGEM DO NOME

Há quem defenda que a palavra Carnaval deriva de carne vale (adeus carne!) ou de carne levamen (supressão da carne). Esta interpretação da origem etimológica da palavra leva-nos, indubitavelmente, para o início do período da Quaresma, uma pausa de 40 dias nos excessos cometidos durante o ano, excessos esses que incluem, segundo a religião católica, a alimentação. Assim, a Quaresma era, na sua origem, não apenas um período de reflexão espiritual como também uma época de privação de certos alimentos como a carne.
Outra interpretação para a etimologia da palavra é a de que esta derive de currus navalis, expressão anterior ao Cristianismo e que significa carro naval. Esta interpretação baseia-se nas diversões próprias do começo da Primavera, com cortejos marítimos ou carros alegóricos em forma de barco, tanto na Grécia como em Roma e, posteriormente, entre os Teutões.6
Segundo outra corrente, o termo “carnaval” significa o “adeus à carne” ou “a carne nada vale” e, por isso mesmo, traz em sua significação a celebração dos prazeres terrenos. Em outras pesquisas, alguns especialistas tentam relacionar as festas carnavalescas com os rituais de adoração aos deuses egípcios Ísis e Osíris.

 No Brasil o Carnaval começou com o entrudo aí por volta do século XVII e foi influenciado pelas festas carnavalescas que aconteciam na Europa. Em países como Itália e França, o carnaval ocorria em formas de desfiles urbanos, onde os carnavalescos usavam máscaras e fantasias. Personagens como a colombina, o pierrô e o Rei Momo também foram incorporados ao carnaval brasileiro, embora sejam de origem europeia.


O entrudo
No Brasil, no final do século XIX, começam a aparecer os primeiros blocos carnavalescos, cordões e os famosos "corsos". Estes últimos, tornaram-se mais populares no começo dos séculos XX. As pessoas se fantasiavam, decoravam seus carros e, em grupos, desfilavam pelas ruas das cidades. Está ai a origem dos carros alegóricos, típicos das escolas de samba atuais.


Corso de diversos carros

Caminhões dentro do contexto dos corsos - Estes percorriam os bairros
No século XX, o carnaval foi crescendo e tornando-se cada vez mais uma festa popular. Esse crescimento ocorreu com a ajuda das marchinhas carnavalescas. As músicas deixavam o carnaval cada vez mais animado.



Você pensa que cachaça é água?

Cachaça não é água não
Cachaça vem do alambique
E água vem do ribeirão



Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô

Mas que calor ô ô ô ô ô ô

Atravessamos o deserto do Saara

O sol estava quente
Queimou a nossa cara


Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô

Mas que calor ô ô ô ô ô ô

Hoje as marchas deviam ser proibidas para crianças. Para adultos só os de boa cabeça.


Vou te pegar de jeito/ Te levar pro meu apê/ Te fazer o enfinca/ Até o dia amanhecer”, diz a letra, sugerindo o que muitos amantes de Carnaval adoram curtir. “E enfinca, enfinca, enfinca”

A primeira escola de samba surgiu no Rio de Janeiro e chamava-se Deixa Falar. Foi criada pelo sambista carioca chamado Ismael Silva. Anos mais tarde a Deixa Falar transformou-se na escola de samba Estácio de Sá. 



A partir dai o carnaval de rua começa a ganhar um novo formato. Começam a surgir novas escolas de samba no Rio de Janeiro e em São Paulo. Organizadas em Ligas de Escolas de Samba, começam os primeiros campeonatos para verificar qual escola de samba era mais bonita e animada



A Bahia também teve suas escolas de samba.Vejam a relação:


·         Bafo da Onçanaodesfila 1
·         Calouros do Samba2 naodesfila 1
·         Diplomatas da Amaralinanaodesfila 1
·         ES Unidos do Politeamanaodesfila 1
·         Filhos da Feira de São Joaquim
·         Filhos do Tororónaodesfila 1
·         Juventude do Garcianaodesfila 1
·         Liga Independente do Samba
·         Lira Imperial
·         Ritmistas do Sambanaodesfila 1
·         Ritmos da Liberdadenaodesfila 1
·         Unidos do Vale do Canelanaodesfila 1
·         Verde e Rosa3

·         De Hoje a 8


Filhos do Tororó

Filhos do Tororó

Vale registrar que, muito antes dos carros alegóricos do Carnaval do Rio de Janeiro, Salvador assistia ao desfile dos carros alegóricos do Cruz Vermelho, Fantoches e Inocentes em Progresso


Carro alegórico do Cruz Vermelha
B Abram alas para um ritmo carioca
As marchinhas carnavalescas deram o tom da festa entre as décadas de 1930 e 1950. Mas o ritmo surgiu ainda no final do século 19. "Ó Abre Alas" é considerada a primeira canção escrita especialmente para um bloco de Carnaval. A "música para dançar" foi composta pela maestrina Chiquinha Gonzaga, em 1899, para o bloco carnavalesco Rosa de Ouro, do Andaraí, no Rio de Janeiro
Com o bloco na rua (do Rio)
Os blocos carnavalescos surgiram em meados do século 19. O primeiro de que se tem notícia é creditado ao sapateiro português José Nogueira de Azevedo Prates, o Zé Pereira. Em 1846, ele saiu pelas ruas do Rio de Janeiro tocando um bumbo. A balbúrdia atraiu a atenção de outros foliões, que foram se juntando ao músico solitário.


Zé Pereira
Eletricidade baiana
O trio-elétrico é a "criação" mais nova do Carnaval brasileiro. Ele surgiu em 1950, quando os músicos baianos Dodô e Osmar, conhecidos como "dupla elétrica", equiparam um capenga Ford 29 com dois alto-falantes e saíram tocando pelas ruas de Salvador. Foi um sucesso. No ano seguinte, o Ford foi trocado por uma picape e a dupla convidou Themístocles Aragão para compor, agora sim, um "trio elétrico"
A "fubica" de Dodô e Osmar - O primeiro com seus filhos

Um dos primeiros "Trio Elétrico"
Por fim, há de se registrar que a guitarra elétrica praticamente é uma invenção baiana de autoria de Osmar Macedo. Ela teve inicio com o chamado Pau Elétrico:


Pau Elétrico

Infelizmente Osmar não registrou o invento até que poucos anos depois alguém nos Estados Unidos registrou a Guitarra Elétrica. Uma pena! O pau elétrico foi a base técnica.




Nenhum comentário:

Postar um comentário