ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

sábado, 1 de junho de 2013

A VIDA ENTRE 1940 E 2013- DEPOIMENTO


Deve ser importante ou pelo menos curioso e interessante uma análise entre o que era a vida em 1940 e a de hoje em dia, ano 2013. O estudo a seguir torna-se ainda mais significativo porque o autor viveu naquela época e ainda vive hoje. Suas impressões tornam-se absolutamente verdadeiras. Não se faz suposições como é normal na reconstituição de uma sociedade passada a partir de objetos encontrados e outros recursos. Aqui se têm a vida como ela realmente foi e é. Por essa razão, estamos crendo, é importante o trabalho a seguir para estudo e outras finalidades.
Vamos iniciar com era “nascer” naquele tempo, isto é, como as pessoas vinham ao mundo. É o chamado principio verdadeiro. Inicia-se uma vida.


Os partos eram realizados em casa por parteiras, muito embora também houvesse parteiros, em muito menor número. As pessoas da classe média e alta geralmente procuravam a casa dos pais e da mãe para o nascimento de seus filhos. Foi, por exemplo, o nosso caso. Nascemos na 7 Portas onde morava o pai de nossa mãe.

A casa comercial pintada da verde - Era uma antiga residência

Naquele tempo as 7 Portas era um bairro residencial como outro qualquer. A Rua Djalma Dutra, hoje toda comercial desde a Fonte Nova até o Largo das 7 Portas, àquele tempo só tinha residências. Talvez uma padaria ali, uma barbearia adiante, essas coisas absolutamente normais em qualquer bairro. Com a implantação do Mercado das 7 Portas em 1940 pelo Sr. Pinto de Aguiar, o bairro começava a sua transformação.
Precisamos fazer aqui um parêntese. Diz-se que o Mercado das 7 Portas tem esse nome porque ele possuía ou possui 7 portas de acesso, o que não é verdadeiro.
Em verdade, o Mercado das 7 Portas possui 3 portas: uma principal ao centro e dois portões laterais à direita e à esquerda. As fotos mostram esses acessos.
Mercado das 7 Portas - Primeiro acesso à direita
Mercado das 7 Portas - Acesso central

Mercado das 7 Portas - Acesso à esquerda

O que deu nome ao bairro das 7 Portas (antes da inauguração do mercado o bairro já se chamava 7 portas) foi a residência ainda existente na esquina da Rua Djalma Dutra com a Praça 7 Portas, construída pelo Sr. Augusto Machado, casado com Olga França Machado, filha do velho França, nosso avô. Eram 4 filhas: Olga, Julieta, Nair(minha mãe)  e Helena.
Solar das 7 Portas - Em vermelho

De relação ao parto em casa há que se destacar que na Holanda de hoje 35% dos partos são feitos em casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário