ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

ILHA DE MADRE DE DEUS

Madre de Deus também já pertenceu à Salvador até 13 de junho de 1989. Nessa data, foi desmembrada de acordo com Lei Estadual.

Foi colonizada pelos jesuítas desde o século XVI qundo era chamada pelos índios de Cururupebas, significando na lingua deles sapo miúdo: sapo (kururu) miúdo (peba). Também foi chamada de Madre de Deus do Boqueirão. Ainda hoje, há quem a chame de Boqueirão. Os pescadores, principalmente.

Até a década de 1950 quando a Petrobrás se instalou na ilha, Madre de Deus era um verdadeiro paraiso. Nela veraneavam dezenas de famílias residentes em Salvador. Tivemos um amigo, Dr. Gaminha, professor da Faculdade de Medicina que tinha casa em Madre de Deus. Falava dela com orgulho. Um dia encontramos com o médico e perguntamos sobre a casa. Respondeu – o petróleo acabou com ela.

Não sabemos se foi devidamente indenizado. O certo é que o doutor Gaminha nunca mais foi à Madre de Deus. Deve ter tido prejuízo financeiro, afora aquele de órdem emocional que lhe deve ter apressado a morte.

O mesmo aconteceu com a população local, a maioria constituída por pescadores. Suas casas foram demolidas para dar lugar aos oleodutos, tanques e demais apretechos que se faziam necessários à indústria.

Contudo, este não foi o maior prejuizo dessa gente. Todo o ecosistema da região foi modificado. A produção pesqueira, mariscos principalmente, caiu a níveis impressionantes. Praticamente acabou com a atividade.

Do outro lado, setores favoráveis à atividade petrolífera na área, devem alegar que a empresa paga mensalmente royalties à Prefeitura e houve uma melhoria do mercado de trabalho.

Há muitas restrições e dúvidas sobre esses benefícios. Diz-se que a população no seu conjunto não se beneficia à altura dos lucros da empresa e do município. Ainda mais: a sede municipal é totalmente desfigurada pelos oleodutos que são visíveis na paisagem, desde Candeias”.

E há um detalhe importante sobre o salário médio mensal dos trabalhadores de Madre de Deus. Pensa-se que ganham muito bem, desde que estão no centro das atividades petrolíferas da Bahia. Ledo engano! Enquanto na microrregião de Salvador esse salário está na órdem de R$834.32 em Madre Deus ele se acha em R$517.29! Isto mesmo e sabem porquê?
A absorção da mão de obra local se limita à vagas de baixa qualificação. A esses homens são destinadas as tarefas mais árduas e braçais, pouco remuneradas e de alta precariedade social.

Em verdade, à luz dos fatos, não se esperava outra coisa. A cidade abrigava extrativistas na pesca e na mariscagem. Dominavam essa técnica. Já aquela outra de petróleo, só com treinamento muito caro, além da precariedade de tempo.

Ainda um pouco de lazer
Terminal Marítimo
Madre de Deus - Vista do Mar
Ilha de Madre de Deus - Vista do alto por Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário