ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

SUBÚRBIO FERROVIÁRIO DE SALVADOR – 16 - PARIPE

Paripe e São Thomé de Paripe se confundem em si mesmos. O primeiro seria o centro comercial e residencial; o outro seria a sua praia.

Vamos unificar a coisa chamando tudo apenas Paripe. Embora atualmente faça parte da cidade de Salvador, no século 18 era apenas um “julgado”, ou seja, um povoado de administração independente.

No século passado até meados de 1970, o bairro era local de veraneio de muitas famílias de Salvador que construíram diversas chácaras, algumas ainda hoje existentes. Foi mais ou menos a mesma coisa que aconteceu em Itapagipe, só que na península foram construídas verdadeiras mansões.

Outra coisa que Paripe se assemelha a Itapagipe refere-se à poluição industrial. Nesta última foram montadas 35 indústrias de diversos ramos. Em Paripe foi montada apenas uma, mas uma que valia por todas de Itapagipe. Trata-se da Indústria de Cimento Aratu. Um monstro! Procuraram o lugar mais bonito de Paripe, seu penedo que o separa da Praia de Inema, e instalaram o monstrengo:



Fábrica de Cimento Aratú

Além da localização, prejudicando o visual do morro, essa industria retirava do mar a sua matéria prima. Foram milhões de metros cúbicos de calcário marinho. Consequentemente, esta operação prejudicou para sempre uma das áreas mais piscosas de Salvador, tanto é que sua principal praia chama-se Tubarão. Certamente havia abundância dessa espécie na área. Até há pouco tempo uma das atrações culinárias do subúrbio eram as moquecas de caçonete de Ilha de Maré, ali próxima.

Outra marca de Paripe como uma área de suma importância ambiental, é o próprio significado de seu nome. Quer dizer ou significar curral de peixes.

Em nosso busca para determinar o verdadeiro significado do nome Paripe, deparamo-nos com informações deturpadas ou apenas aproximadas.: “viveiro de peixes” e “coisa de pesca”.

Claro que o mar é um viveiro de peixes e estando numa praia, Paripe podia ser uma coisa de pesca.

Definamos, portanto, de uma vez por todas, o seu significado. Simplesmente curral de peixes e para que não fique nenhuma dúvida sobre o mesmo, vejamos algumas fotos de currais de peixes pelo Brasil afora:


Currais de peixes

Como funciona? Como se vê nas fotos, faz-se um espaço de paus e redes durante o período da maré baixa. Uma espécie de curral. Há uma entrada, naturalmente, fácil de penetrar, mas complicado para sair. Digamos que até impossível. Dentro são colocados objetos brilhantes e mesmo pedaços de frutas como abóbora e outras. Quando a maré enche, os peixes entram no curral e não conseguem sair. Na maré baixa, são recolhidos.

Nota: as marés enchem e vazam num período de cada 6 horas, aproximadamente.

Na parte comercial, há que se destacar em Paripe o seu Centro de Abastecimento. Foi inaugurado em novembro de 1994 pelo então governador Antônio Carlos Magalhães. A proposta da criação do mercado, foi a retirada dos ambulantes das ruas do local e até das marginais da via férrea.
Mas não adiantou. Hoje, vê-se em Paripe centenas de pequenos negociantes por todos os lados da pequena cidade. Tem até uma indústria na rua. Os caras constroem armações de ferro para lajes e coluna. São diversas.
Na parte espiritual, digamos assim, há duas igrejas em Paripe. Uma em louvor a Nossa Senhora do Ó e a outra a São Thomé, esta última construída pelos jesuítas no século XVI. É uma das mais antigas igrejas de Salvador.


Igreja de São Thomé

Como se vê na foto, está abandonada. O mato toma até suas paredes. Coisas de nossa Bahia.
Já que falamos em São Tomé, vamos ver quem foi o homem de Deus.
A origem de seu nome: os teólogos discordas a respeito da verdadeira identidade de São Tomé, - sem o h – Dizem eles: “Tomé não é propriamente um prenome, mas sim a palavra equivalente a gêmeo, vindo do aramaico Tau’ma, e posteriormente traduzida para o grego Didymus.

Complementam:
“Muito se discute de quem esse Judas Tomé seria irmão gêmeo. Outros, inclusive, acreditam se tratar de Judas Tadeu, irmão de Tiago Menor, tendo-se confundido-o com uma terceira pessoa apenas porque seu nome teria aparecido com a alcunha Gêmeo algumas vezes em vez de Tadeu. “

Vejam mais sobre São Thomé:

“Quando, em 1624, os padres Montoga e Mendonza fundaram a vila de Encarnación, importante missão jesuítica posteriomente destruída, tiveram curiosidade em saber o que pensavam os selvícolas a respeito do mate, bebida que já constituía um hábito característico do Paraguai. Tiveram por resposta que a erva-mate lhes servia de alimento e remédio desde o dia em que Pai-Zumé, um estranho personagem que há muito tempo estivera naquelas tabas, lhes ensinara como aproveitar as folhas da caá (que até então julgavam venenosas), e como lhes usufruir os efeitos medicinais. Contavam também os indígenas que Zumé era um homem poderoso: as selvas brutas conservavam intacto o caminho por onde ele passara, desde o Tibagi até o Piquiri; e às margens deste rio, Zumé havia deixado, numa pedra, o sinal de seus pés - testemunho eterno de sua passagem por aquelas terras.Os dois jesuítas logo aliaram a figura de Zumé à pessoa de São Tomé, o apóstolo que provavelmente teria visitado o continente americano pregando a doutrina de Cristo. A versão cristianizada da lenda logo se espalhou entre as populações brancas, e em breve era voz corrente que a erva-mate havia sido descoberta e benzida pelas mãos de São Tomé”

São Thomé



Nossa Senhora do Ó


Também vamos recorrer aos entendidos para falar sobre ela. É claro!

“Após o pecado original, Deus prometeu a Adão que viria um Redentor. A humanidade ficou séculos esperando o nascimento d'Aquele que nos abriria as portas do Céu. Especialmente no povo eleito, havia os que aguardavam o nascimento desse Salvador, o Messias. E sobretudo esperava-O ardentemente uma donzela pertencente ao povo judeu: Maria Santíssima.

Para celebrar essa expectativa de Nossa Senhora, o anseio e a alegria com que Ela aguardava o nascimento de seu divino Filho, determinou a Igreja que a última semana antes do Natal fosse denominada “da expectação” ou “da esperança”. E que esses desejos estivessem refletidos nas antífonas do Ofício ou Breviário que devem rezar sacerdotes e religiosos.

Por coincidência, nessa mesma semana elas começavam todas por Ó!. Assim eram lidas as antífonas Ó! Sabedoria, Ó! Emmanuel, Ó! Rex Gentium, Ó! Adonai, Ó! Radix Jesse, Ó! Clavis David etc. Antífonas que terminavam todas com a invocação “Veni”, vinde.”

Só acrescentaríamos que Nossa Senhora do Ó é uma devoção mariana surgida em Toledo na Espanha.

Por fim, resta-nos falar de sua bela praia– Tubarão. Uma praia tranquila, limpa de uma beleza extraordinária. Todos os dias, principalmente nos fim de semana, milhares de pessoas se dirigem a ela.

Melhor do que palavras, desfilaremos uma série de fotos, através das quais o leitor poderá melor avaliar o que dela se fala em todo o mundo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário