ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

IGREJA DE MONTE SERRAT

Igreja de Nossa Senhora de Monte Serrat
Casarão, Igreja e Farol
Ponta do Humaitá

Pier
 
Casarão do século XVI
É uma belíssima e singela igreja. Incrustada sobre recifes tem o domínio da paisagem. Fica localizada na Ponta do Humaitá, em Monte Serrat.

Há uma ligeira controvérsia sobre o correto nome: se Monte Serrat como se conhece ou Monte Serrate, como alguns dizem. Vamos esclarecer de uma vez por todas: Monte Serrate é o nome de um morro existente na cidade de Santos em São Paulo. No local existe uma igreja dedicada à Nossa Senhora de Monte Serrate, aliás, padroeira de Santos. O dia 8 de setembro é consagrado a esta santa.

Então, existem duas santas? Monte Serrat e Monte Serrate? Não! É uma questão de pronuncia e não de diferenciação. O nome e a pronúncia corretos é Monte Serrat.


O culto a Nossa Senhora de Mont Serrat surgiu na Espanha na época das lutas entre cristãos e mouros que tinham invadido a Península Ibérica. Para escapar aos saques, igrejas e capelas foram desativadas e suas imagens escondidas. Diz-se que teria sido um pastor numa caverna na região da Catalunha que encontrou uma imagem da Virgem Maria com o menino nos braços, escondida que estava. Como a região caracteriza-se por um relevo muito especial de rochas pontiagudas que fazem lembrar os dentes de uma gigantesca serra de cortar, originou-se então o nome de Monte Serrat.


Da Catalunha a devoção espalhou-se por quase toda a Europa, inclusive Portugal, daí chegando à Bahia ainda no tempo de Thomé de Souza. Coube a Garcia Dias D’Ávila, Senhor da Torre, a iniciativa de mandar construir a igreja que iria acolher a majestosa santa. Decorria o ano de 1580. Claro que a atual igreja não é a mesma mandada construir pelo conde. Posteriormente, sua guarda foi entregue à Ordem de São Bento ou Ordem Beneditina.


Parte do atual design data do século XVII e é atribuído ao arquiteto italiano Baccio de Filicaya. Daí para frente vem sofrendo sucessivas modificações e acréscimos. O mosteiro é um deles e o “avarandado” que se vê em sua frente é outro, bem como foram feitas grandes modificações no seu interior. O altar-mor veio da Igreja do Mosteiro de São Bento, devidamente adaptado às dimensões da pequena igreja. O teto é novo, apenas a Santa é a mesma trazida há longos anos. Felizmente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário