ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

LARGO DA BOA VIAGEM


O Largo da Boa Viagem é um dos poucos lugares da península que se conserva razoavelmente bem . Houve poucas mudanças! O inusitado é que essa preservação deva-se a uma anomalia arquitetônica existente no local. Do seu lado esquerdo, funcionava uma fábrica cujas dependências ainda existem hoje. Temos a impressão que, no momento do tombamento da igreja, a tal construção foi enquadrada. Questões de proximidade. Em razão de não se poder destruí-la, isto impediu que no seu lugar, fossem construídos prédios dos mais diversos estilos "arquitetônicos", ou melhor dizendo, sem nenhum estilo, como se vê em todas as partes de Itapagipe do Senhor do Bonfim.


 Fábrica ao lado esquerdo do Largo da Boa Viagem
Voltando a vista para o lado direito, temos em toda lateral da praça o belíssimo conjunto da Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem e o seu convento. Diz-se que antes de se tornar igreja e convento, funcionou no local um hospício pertencente à Ordem dos Franciscanos. Tudo começou em 1710 quando D. Lourença Maria de Negreiros, proprietária de extensa faixa de terra na península, doou uma fazenda à Ordem dos Franciscanos. A única condição colocada pela fazendeira foi que a Órdem construísse no local uma igreja e quando pronta, fosse celebrada cinco missas anuais em seu nome e o de sua filha de nome Ana Pereira de Negreiros. Mãos à obra e já em 1712 os franciscanos deram à Bahia a belíssima Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem em estilo barroco português, com grande parte de sua frente revestida de azulejos pérola nacarado de origem portuguesa, brancos e azuis.

Igreja de N.Sra. da Boa Viagem
Também a sua torre em formato piramidal é toda revestida desses azulejos o que dá ao conjunto uma harmonia arquitetônica maravilhosa. Sua porta principal é de jacarandá com almofadas em alto relevo, encimada por três janelas de guilhotina simetricamente dispostas. No interior o seu piso é de mármore cinza e o teto todo azul com uma pintura evocativa de proteção de Nossa Senhora a veleiros singrando o mar. O Altar-Mor é trabalhado em talha dourada o mesmo ocorrendo com os dois altares laterais, um dedicado a Nossa Senhora das Necessidades e o outro a São Gonçalo. Encimando o Altar-Mor destaca-se a imagem de Nosso Senhor Bom Jesus dos Navegantes e abaixo dele a imagem de Nossa Senhora da Boa Viagem.
Igreja da Boa Viagem por inteiro

Novas fotos:



Nenhum comentário:

Postar um comentário