ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

COMO ERA A NOSSA AVENIDA OCEÂNICA NOS VELHOS TEMPOS- 1

A nova Barra é o grande assunto do momento em Salvador. Ainda no domingo passado o jornal  A Tarde publicou uma excelente reportagem sobre as obras que estão começando e o fez de forma sumamente interessante: publicou fotos de antes, agora e depois dos espaços onde serão feitas as obras.

 Reportagem de autoria de Anderson Sotero

Isto nos levou a pensar na organização de um compacto sobre o que este blog já postou sobre o bairro nesses quatros anos de sua existência, desde que, para qualquer pessoa seria muito difícil conhecer tudo que foi publicado.

Ante essa impossibilidade, a partir d’agora estaremos fazendo “flashes” de uma Barra ainda mais antiga do que aquela apresentada pelas fotos do jornal.  Acreditamos que facilitará ainda mais o entendimento da formação do bairro.


Representação da Fortaleza da Barra, possivelmente datada de 1540

Magnifica e extraordinária foto da Praia do Porto, do seu casario, do Forte Santa Maria à direita e do Forte Santo Antônio da Barra no alto, à esquerda, além de outras detalhes que passaremos a comentar.

Ainda não tinham sido construídas as balaustradas, melhoramento realizado no princípio do século XX (1910/1916). Essa constatação tem como base a construção das  balaustradas na Avenida Oceânica. Foi mais ou menos na mesma época.

Um detalhe importante desta foto é o gramado que se vê sob as árvores que ornam a praia até hoje. Uma rua do lado contrário à praia. Uma outra rua atrás das casas. Seria a nossa hoje Rua Barão de Sergy?

Esta foto mostra-nos o Forte de Santa Maria e a sua direita as formações rochosas em forma de "V". Na época, ainda não se tinha feito o atual cais que se projeta sobre o mar. Diz-se que essa proteção natural teria sido a primeira "marina" de Salvador.

Navio inglês Maraldi naufragado entre o Farol da Barra e o Forte de Santa Maria. Ele vinha de Buenos Aires com uma carga de couro e lá com destino à Antuérpia. O naufrágio se deu por volta das 9 horas da noite. Fortes correntezas existentes na área impeliram-no contra os recifes da área.
Quem mergulha na área vê cenas como esta.


Mais do que sensacional esta foto. Mostra-nos o espaço onde seria construída a atual Av. Oceânica, onde vão ser feitas as principais obras da nova Barra. Em verdade, nem rua tinha. As casas estão próximas ao mar. Plantas em frente, absolutamente agreste.

Curiosíssima e importante foto que nos mostra um detalhe interessante: a Avenida Oceânica começou vindo de Ondina para a Barra e não ao contrário como se possa pensar. A obra deve ter parado ai por muito tempo, desde que em frente havia todo um casario a ser demolido e respectivos acertos de conta. Como isto foi no tempo de J.J. Seabra, estamos crendo que ele passou por cima de tudo como era seu jeito.

Resolvida a questão, a foto acima já nos mostra a Avenida sendo calçada, bem como estão sendo instalados postes de iluminação no meio da rua. Na época, isto era comum. Vê-se também a balaustrada já construída até o Farol.

as e
Aí está a Av. Oceânica sem ainda o discutido Edificio Oceania. Reparem o obelisco no principio dela (belíssimo). Banhistas? Muito poucos. Não se costumava tomar banho de mar como hoje. Motivo: a poluição das praias por esgotos Há um detalhe também interessante nesta apresentação: um "matinho" logo abaixo da balaustrada. Talvez baronesas que sempre gostam de áreas poluídas. Não as culpemos. Elas até melhoram a situação poluente.

O Cristo no Morro de Jesus.Morro de Jesus? Sim! Onde é hoje a Aeronáutica chamava-se Morro de Jesus e era lá que ficava o nosso Cristo da Barra. A foto é raríssima. Deve ter sido tirada por volta do ano de 1940. Logo abaixo "funcionava" uma pedreira dinamitando as pedras do mar em torno. Parece até mentira, contudo, adiante os leitores irão ver o buraco feito no morro com as explosões. O Cristo tremia!

Autoridades visitando o Morro de Jesus. Havia um acesso até o local onde estava a estátua sobre uma formação de pedras. Devia ser um local bonito, principalmente pela vista que descortinava por todos os lados. Aliás, ainda descortina, porem reservadamente. 
O Morro do Cristo ainda sem o Cristo.Para este local foi trazido o Cristo do Morro de Jesús por volta do ano de 1960.

Aqui, algumas pessoas estão sentadas à beira do mar da Barra de hoje. Reparem que estão ao nível do mar. Ainda não existia a nossa grande avenida que agora vai ser reformada. Como se nota, ela foi construída num elevado de quase 5 metros de altura e se colocaram balaustradas protetoras e se fizeram escadas para seu acesso.





Nenhum comentário:

Postar um comentário