ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

terça-feira, 22 de outubro de 2013

COMO ERA A NOSSA AVENIDA OCEÂNICA NOS VELHOS TEMPOS - 2

Pedreira do Cristo

Estamos retomando os flashes sobre a Barra com uma foto para lá de inusitada. A seta indica o estrago que uma pedreira causou nas pedras que circundam o Morro de Jesus, hoje Morro da Aeronáutica, entre os anos 1914/16. Sim, permitiram o funcionamento de uma pedreira nesse local e ala causou o que estamos vendo na foto.Possivelmente, as pedras retiradas do local serviram na construção da Avenida Oceânica. Causou também a retirada do Cristo desse local, transferido que foi para o Morro do Cristo onde se encontra até hoje. Estava ameaçado de cair em razão das explosões com dinamite.

Tal fato ocorreu na época em que J.J. Seabra era Governador da Bahia e é sabido de todos que o referido senhor fez de tudo para a abertura de diversas avenidas na cidade sem tomar conhecimento dos direitos dos outros, inclusive da Igreja, desde que, por exemplo, na Av. 7 de setembro, colocou abaixo pelo menos três igrejas e não colocou mais porque a população se revoltou. Era tão impetuoso e desmedido esse político que, segundo algumas fontes, teria partido dele a autorização para bombardear a Cidade de Salvador à partir do Forte de São Marcelo por não concordar com a permanência no governo do adversário Aurélio  Rodrigues Viana. O homem era explosivo!

Hoje o Cristo está muito bem no novo morro, rodeado de um coqueiral muito bonito conforme se pode constatar na foto acima.

Também o Largo do Farol vai ser remodelado. Por muitos anos funcionou em grande parte do seu espaço um posto de gasolina, prejudicando sensivelmente o seu visual. Há, contudo, uma curiosidade sobre esse largo que talvez poucos conhecem : sempre foi "posto de gasolina", verdade que de uma bomba só, mas posto que os poucos veículos  do principio do século passado se abasteciam.

Praça do Farol e sua solitária bomba de gasolina

Ainda de relação ao Largo do Farol nada melhor do que uma foto dos bondes daquela época. Nesta um bonde circula justamente no seu espaço, em frente à fortaleza. Deve ter vindo da Avenida Oceânica e se dirige para o Porto.

Para encerrar esse trabalho, vamos ver como era a Ladeira da Barra em fins do século XIX e até mesmo em principio do século XX. 

Mas porquê essa ladeira está se imiscuindo no assunto que estamos tratando? Porquê é através dela que flui grande parte do tráfego de veículos nos dois sentidos.Torna-se sumamente importante! Acontece porém que, no século XIX a ladeira não chegava como chega hoje ao Largo do Porto. Ela se interrompia na altura da Igreja de Santo Antônio da Barra. Vejam esta foto:
À esquerda vê-se nitidamente o Cemitério dos Ingleses. Em baixo a bacia onde é hoje o Iate Clube da Bahia. Chamava-se Praia dos Índios. Antes do clube funcionou no local uma fábrica de xale. Agora, reparem que à direita da foto existe um enorme paredão que teve que ser retirado para permitir que a ladeira se estendesse até o Porto. Até então, nenhum veículo - nem carroça - tinha acesso ao largo do Porto logo embaixo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário