ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

NADA DE AVENIDAS E ESTACIONAMENTOS

Acompanhamos com vívido interesse as crônicas do arquiteto Paulo Ormindo de Azevedo todos os domingos no jornal "A Tarde". Neste último ele comentou uma palestra proferida pelo então Prefeito de Bogotã, Enrique Penãlosa sobre a movimentação de veículos nas  cidades do mundo.

 O mestre é uma das pessoas mais do contra ás autopistas, viadutos e passarelas que “priorizam os carros, corta e segregam o espaço urbano”. Acrescenta: “elas devem ser transformadas em avenidas com árvores, passeios de 15 m de largura e algumas faixas de BRT (bus rapid transport)”.  

Vai mais adiante o ilustre professor  quando se torna contra os estacionamentos no centro da cidade, estimulando o tráfego de veículos”. Seu discurso em linhas gerais é antagônico a Via Expressa, a Paralela, a Linha Viva, à ponte Salvador-Itaparica e o metrô cercado.

Isso vem muito a propósito quando se iniciam as obras da Barra, absolutamente dentro dos conceitos do professor colombiano e já adiantamos que, efetivamente na  Av. Oceânica no trecho entre o Farol e o Barra Center não vai mais circular veículos. Todo o tráfico ficará restrito às ruas e avenidas internas.

Em toda essa história uma dúvida persiste. E o Carnaval? Será que vão permitir os Trios Elétricos com suas dezenas de tonelagens circularem pelo chamado Circuito Barra Ondina, aí incluso o trecho que será modificado?

Está difícil não somente pelo peso desses veículos, mas também pelo fato de que o novo espaço terá dezenas de jardineiras por todos os lados e mesmo coqueiros plantados do lado das casas. Teriam que ser retirados, possivelmente prejudicando o piso e, sem dúvida alguma, sacrificando as plantas.


Nova Barra

E, então, onde se faria o Carnaval da Barra? Temos a impressão que não se fará, pelo menos no trecho entre o Farol e o Barra Center que é um dos principais. Noutra postagem sobre esse assunto "carnavalesco", dizíamos que talvez agora tenha chegado a vez do Comércio, Avenida da França, por exemplo, como havia sido sugerido por Carlinhos Brown em certa ocasião.


Av. da França

Mas Ondina não tem nada com isto? Nesse caso, o Circuito Barra-Ondina teria inicio no Cristo, mas aí surge um grande problema: onde os Trios irão se posicionar para o desfile? Na Centenário? Difícil!.  Poderia ser na Visconde de Caravelas, Afonso Celso, por ai.

 Ai voltamos mais uma vez ao Comércio. Existe espaço para tudo. A Avenida da França é enorme, tanto na sua extensão quanto na largura. É o espaço mais conselhável.

E, aproveitando a oportunidade, não se esqueçam dos blocos afros. Sugerimos em outra oportunidade que se fizesse o desfile na Rua Chile, recuperando o Carnaval dessa rua. Teria começo na Praça da Sé onde seria a concentração e caminhava grandioso pela Misericórdia e Rua Chile com desmanche na Praça Castro Alves ou até mesmo aproveitando esta praça para uma grande apoteose.

Ria Chile
 Far-se-ia uma grande arena como acontece em Manaus. Essa arena começaria nas proximidades da Estátua de Castro Alves até o Cinema Gláuber Rocha. Parece  viável!
No espaço azul se construiria uma arena que seria paga por camarotes em torno. Naturalmente que também haveria arquibancadas à preços camaradas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário