ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

PORTO DE SALVADOR - ONDE DEVERIA TER SIDO FEITO

Até hoje muito se comenta sobre as obras que se fizeram em Salvador no principio do século XX entre os governos de Luiz Viana que se encerrou em 1900 e o segundo governo de J.J. Seabra que foi até 1924, tendo este último político também governado o Estado entre os anos 1912 e 1916. No entremeio o mesmo colocou no governo uma pessoa de sua inteira confiança e manobra, o senhor Antônio Muniz Sodré de Aragão.

Nesse período mudaram a face de Salvador. Era uma cidade bem ao estilo europeu com seus casarios coloniais e ruas estreitas, mas não tão estreitas assim, como será visto adiante.

Uma das mais marcantes modificações da Salvador antiga se deu na área do Comércio em razão da instalação do Porto nesse espaço. Para tanto tiveram que fazer um aterro gigantesco que além de se estender mar a fora cerca de 100 a 150 metros, botou abaixo grande parte dos prédios existentes no local  e se fizeram novas vias.
Inauguração em 1913
Armazéns do Porto

Em verdade, não se pode dizer que o culpado dessa devassa territorial tenha sido do Governador Joaquim José Seabra, tido como um homem reformista dos mais impiedosos, mas foi no seu governo, por coincidência, que se deu a inauguração desse porto em 1913.

Muito embora se diga que as “inconveniências” do Porto de Salvador são perfeitamente normais, desde que conseqüência de um “conflito generalizado entre o crescimento significativo da população urbana e a forma como se deu a evolução histórica das técnicas de operação nos portos”, segundo os peritos, em verdade, contudo, o Porto de Salvador não deveria ter sido construído onde foi, praticamente no centro da cidade.

E ainda há outro fator absolutamente contrário à instalação do porto onde foi construído: nas proximidades do Forte de São Marcelo.

Porto de Salvador - Forte de São Marcelo - Setas indicativas de proximidades

Como é sabido, esse forte foi construído numa coroa de pedras e areia existente no local. Claro que a sua área em torno num raio mínimo de 100 metros ou mais, é relativamente rasa, absolutamente imprópria para um porto. Por outro lado, a sua presença física mais do que dificulta a manobra de grandes navios.

Além dessa inconveniência técnica, o aterro que se fez no Comércio para a construção do Porto sacrificou o tecido urbano então existente nessa importante área da Cidade Baixa, o que dava a Salvador a categoria de uma das maiores cidades do Hemisfério Sul.

Diz-se até que não fosse destruído o que já se destruiu em Salvador, mais o que ela tem hoje e poderia ser considerada como uma das maiores cidades do mundo, bonita, cosmopolita, atraente, simpática, diferente, etc. etc.


Vejamos as fotos adiante para confirmar ou não essa elogiosa afirmação:


Representação de Salvador- Onde foi feito o Porto

Cais das Amarras - Prédios ao estilo pombalino

Antiga Praça Riachuelo - Junto ao mar

Rua das Princesas 

A mesma rua em sentido inverso

Rua Conselheiro. Dantas

Mas era necessário o porto, dirão muitos ou todos. Sem dúvida, mas não onde foi construído. Deveria ter sido à partir do então Cais do Ouro e se estendendo para Água de Meninos como hoje acontece ou é a sua tendência. Com isto perservar-se-ia uma cidade belíssima como esta que as fotos apresentaram, mas não tiveram dó nem piedade. Absolutamente implacáveis.

Cais do Ouro no Pilar

Nenhum comentário:

Postar um comentário