ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

MERCADO MODELO - O NOVO - 2A PARTE

Agora, vamos entrar no Mercado Modelo. Não se vai falar mais se é novo ou se é antigo. “Águas passadas não movem moinhos”. Simplesmente, Mercado Modelo, o maior centro de lojas de artesanato do País. Sua finalidade principal: o turismo.

Efetivamente, o Mercado Modelo é uma forte atração do turismo nacional e internacional. Por ele passam milhares de pessoas vindas de todas as partes do planeta. Encontra-se de tudo! Aliás, sob esse aspecto, há quem critique que o Mercado tem muita coisa que não é da Bahia e os mais severos comentam que, na sua maior parte, aqui não é fabricada. E daí? Ele centraliza as diversas inclinações artísticas existentes no País, inclusive as nossas.
Há uma grande quantidade de artesãos morando e trabalhando em Salvador e cidades do recôncavo. A maioria em função do Mercado Modelo. São todos informais. Diz-se que, Salvador é a capital da informalidade. Tem os artesãos. Tem os capoeiristas. Tem as baianas de acarajé. Tem os barraqueiros. Tem os músicos dos Trios Elétricos. Juntos, formam uma grande comunidade, criativa e personalizada. Viva a Bahia!

Corredor principal

Um dos corredores laterais

Mais outro


Reproduções

Típico da Bahia!

Arcadas de pedra

Passarela


Seriam as catacumbas ao tempo da antiga Alfândega?
Suspeita-se que, efetivamente, não seriam catacumbas, desde que nunca houve nenhum achado de sepulturas no local. Poderia ter sido uma área destinada a escravos, muito comum naquela época. Uma masmorra, isto é, uma prisão subterrânea, escura e úmida. Os escravos trazidos ilegalmente da África ficavam detidos neste local. É uma versão mais consentânea!









Nenhum comentário:

Postar um comentário