ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

LADEIRA DA JEQUITAIA

Na postagem anterior falamos do Forte Santo Alberto. Muito interessante a sua história! Na oportunidade, foi dito que o referido forte foi construído com a finalidade de proteger o único acesso então existente à Cidade Alta de Salvador.

Único acesso? Sim! Primeiramente, estávamos a nos referir ao ano de 1674. Salvador era uma cidade contida num pequeno espaço que ia da atual Praça Castro Alves até imediações do Pelourinho. Era a Salvador ainda de um só plano – o da Cidade Alta.

Planta de Salvador datada de 1549

Planta de Salvador de 1616

Com o passar do tempo a cidade começou a se expandir e o fez com mais força em direção a Santo Antônio Além do Carmo, tanto no que diz respeito ao segmento residencial, quando de referencia ao segmento comercial. Este crescimento se estendeu até o Barbalho onde já se tinha construído um forte com as mesmas finalidades das do Forte Santo Alberto (proteção ao único acesso à Cidade Alta) e se espraiou na parte baixa da cidade na altura da Água de Meninos que antes se chamava Praia da Jequitaia.



Indicador verde: Ladeira da Água Brusca, antiga Ladeira da Jequitaia – Indicador amarelo: o bairro de Santo Antônio e o indicador vermelho , o Forte do Barbalho



Forte do Barbalho
Entrada principal
Se, por esse lado, havia facilidades de expansão da cidade, do outro, caminhando em direção à São Pedro e Campo Grande, Vitória, existiam sérias dificuldades. Primeiramente, a segurança era precária. As fortificações então existentes nessa direção se encontravam na Barra longínqua e tinham finalidades muito específicas de contenção das invasões de holandeses e franceses, ávidos por esta terra.

O segundo impasse residia na verticalização acentuada do morro de Salvador entre o Campo Grande até a Barra. Não havia como construir nada lá em baixo. Hoje, só os periféricos alcançam esta área.
 
Posteriormente, a cidade se estendeu para os lados da Lapinha e se fez um segundo acesso, verdade que por demais íngreme, só usado por pessoas, nunca por veículos de tração animal, aliás, como acontece até hoje de relação a veículos a motor.

Ladeira da Lapinha vista da Av. Jequitaia

A mesma ladeira vista da Lapinha


Atual Ladeira da Água Brusca



Nenhum comentário:

Postar um comentário