ATÉ HOJE JÁ TIVEMOS MAIS DE 400 MIL CONTATOS

domingo, 15 de novembro de 2009

SÃO JOAQUIM- CASA PIA E COLÉGIO DOS ÓRFÃOS DE SÃO JOAQUIM

Na postagem anterior foi feita uma matéria sobre o que é e o que representa a Casa Pia e Colégio dos Órfãos de São Joaquim em seus mínimos detalhes. Aproveitamos um trabalho organizado pela Emtursa, disponível em www. emtursa.salvador.gov.br.

Na presente, desfilaremos uma série de fotos da parte interna dessa instituição de nossa autoria, em visita agendada a esta instituição. Fomos acompanhados por uma funcionária.

Foi perguntado se poderíamos fotografar. Ela respondeu que sim. Fotografamos o que achamos de mais interessante na parte térrea do prédio, contudo, quando nos preparávamos para subir até o andar superior , alguém se aproximou da pessoa que nos acompanhava e cochichou algo ao seu ouvido. De imediato, a acompanhante nos disse que subiríamos, mas que não poderíamos fotografar. Achamos estranho! Uma sutil intervenção para que não subíssimos.

A capela


Pátio interno ajardinado -Em torno dele se fez a construção



Cemitério


Uma das muitas salas internas


Um dos corredores




Outro corredor

Mais algumas informações sobre essa instituição: inicialmente foi construída como escola dos jesuítas. Nos primeiros duzentos anos da colonização, esse foi um dos principais redutos de padres, seminaristas e religiosos, até que a antiga companhia de Jesus foi expulsa do Brasil pelo Marquês de Pombal. Desde então, a Casa Pia serviu de base militar, além de entreposto de escravos, até ser doada por Dom João VI para tornar-se abrigo de órfãos.

Hoje, este conjunto arquitetônico de seis mil metros quadrados é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Há uma extensão do imóvel, projetado para a direita onde hoje funciona um quartel da Polícia Militar. Antigamente, funcionou o CPOR.

A construção se desenvolveu em torno de um grande pátio em dois pavimentos. A capela apresenta uma galilé de três arcos, superposta por tribunas em lugar de coro como na solução tradicional franciscana e beneditina. A pintura do teto e da autoria de José Teófilo de Jesus feita em 1826 e se alude à Anunciação da Virgem, bem como os três quadros para altares alusivos a São Pedro de Alcântara, Nossa Senhora e Santíssima Trindade. Na capela mor, ainda da mesma autoria, os quadros de N.Sra. Santana, São Joaquim e a Virgem Maria.
José Teófilo de Jesus foi um grande pintor baiano. Nasceu em Salvador no ano de 1758 e faleceu em 1847. Entre os anos de 1839 e 1840, fez 34 painéis que hoje decoram os corredores da Igreja do Senhor do Bonfim. Também fez intervenções em outras igrejas de Salvador como a do Pilar e a de São Francisco.

O terreno onde hoje está a Casa Pia foi doado por Domingos Afonso Sertão, um bandeirante desbravador do Piaui.

O projeto original é de autoria do francês Charles Bellaville. As obras foram dirigidas pelo Pe. José Aires com assistência do projetista de nome Bazin e do irmão Jácome Antônio Barca, italiano de Como. O monumento passou a propriedade da Coroa em 1760 com a expulsão da Companhia de Jesus e em 1818 o Conde da Palma, governador da Bahia pediu a D. João VI a doação do prédio para que o beato Joaquim Francisco do Livramento nele estabelecesse um colégio para órfãos . Assim em 1825 o orfanato foi inaugurado.

Um comentário: